QUEFIR – Um verdadeiro tesouro probiótico

Tempo de leitura: 4 minutos

A história do quefir é originário das Montanhas do Cáucaso Setentrional, há vários séculos atrás. O termo quefir deriva do turco keif, que quer dizer bom sentimento.

Ao cultivar os grãos do quefir em água com mascavo ou leite, percebemos que, com o tempo, eles se multiplicam e uma parcela desses grãos deve ser removida para evitar a superpopulação e continuar proporcionando uma boa relação entre leite (ou água com mascavo) e grãos. Tradicionalmente, os grãos em excesso devem ser doados para amigos, parentes ou até mesmo pessoas desconhecidas, bem como podem ser comidos ou desidratados e armazenados como uma fonte alternativa.

Além do quefir ser um produto facilmente digestível,  ele também é uma boa fonte de proteína e de cálcio. Pode, consequentemente, ser incluído com parte da dieta diária.

A purificação orgânica que promove auxilia na obtenção de um eco sistema interno perfeito para a saúde e para a longevidade. O quefir tem propriedades antitumorais, antibacterianas e antifúngicas. Essas propriedades abrangentes podem explicar a razão para o uso do quefir no numeroso relato de curas de doenças. O quefir tem sido usado no tratamento de pacientes que sofrem de doenças de deficiências imunológicas, pois aumenta a imunidade em grande escala e ainda atua como elemento desintoxicador da enorme carga de medicamentos a que o doente se vê submetido, promovendo uma absorção orgânica muito maior de sais minerais e vitaminas, principalmente a vitamina B12, ajudando nos problemas de desnutrição.

Descobriu-se que  quefir de leite induz a secreção de Interferon, que é uma glicoproteína produzida em resposta a um ataque viral, cuja função parece ser desencadeada por mecanismos de defesa das células não infectadas. Acredita-se que o Interferon é eficiente contra doenças virais e algumas formas de câncer.

O quefir tem efeito comprovado no auxílio do tratamento de:

Atuação do Quefir em Distúrbios nervosos:

– ansiedade, insônia;
– síndrome de fadiga crônica;
– catarros bronquiais e outros problemas respiratórios;
– alergias;
– escleroses;
– reumatismo e L.E.R.;
– tumores;
– problemas cardio-vasculares (infarto e arteriosclerose);
– problemas de vesícula;
– disfunções hepáticas;
– problemas renais e icterícia;

Atuação do Quefir em Doenças do estômago:

– gastrite;
– úlceras pépticas e duodenais;
– regulariza a digestão;

Atuação do Quefir Problemas intestinais:

– diarreias;
– intestino preguiçoso ou preso;
– hemorroidas.

O quefir previne putrefação intestinal causada por depósito nos intestinos e contribui para depuração do organismo e restaura rapidamente a micro flora intestinal, o que é ótimo para quem se submeteu a longos tratamentos com antibióticos; problemas de sangue:
– anemia;
– leucemia;

Quefir atuando em Problemas de pele:

– dermatites;
– eczemas;
– lúpus;
– cândida;
– psoríase;
– herpes.

Males do século:

– irradiações;
– exposições a monitores de vídeo;
Na desintoxicação de poluentes tóxicos.

O Quefir ajuda também no processo de Emagrecimento:

– atuando como um enzimático poderoso, acentua amplamente o anabolismo, ou seja a assimilação de nutrientes e por provocar um equilíbrio geral do organismo, provoca uma sensação agradável de saciedade, que reduz o hábito de comer por compulsão, depressão ou ansiedade.
Também já está provado que as melhores dietas são aquelas em que a pessoa se alimenta várias vezes durante o dia, em pequenas quantidades. O quefir, especialmente o de leite, pode ser usado nestes pequenos “lanchinhos”, substituindo outros alimentos mais calóricos, mesmo quando batido com frutas e cereais, desde que se evite o uso de açúcar ou mel. Porém, a associação simultânea de quefir com jejum não é recomendada e para os que gostam de jejuar o uso nos dias de jejum pode ser suspenso. Se alimentar só de quefir é uma atitude errada e contra indicada.

Composição do quefir:

O grão de Quefir é um agrupamento gelatinoso polissacarídeo que tem vários micro-organismos em simbiose, e sua complexidade ainda não foi completamente decifrada pela ciência.
Basicamente, o quefir contém:
– 8 leveduras;
– 2 bactérias acéticas;
– cerca de 16 lactobacilos;
– cerca de 9 estreptococcia/lactobacilo;
– ácido fólico;
– ácido pantotênico;
– biotina (vitamina B);
– cálcio;
– carboidratos;
– fósforo;
– gordura;
– lactase;
– magnésio;
– niacina (vitamina B3);
– potássio;
– proteínas;
– piridoxina (vitamina B6);
– triptofano;
– vários outros aminoácidos benéficos;
– vitamina B12;
– vitamina K.

O quefir contém cerca de 37 micro-organismos benéficos ao nosso organismo.
Existem indicações para o tempo de fermentação:
* 12 horas = laxante suave, sem causar cólica ou diarreia
* 24 horas = regula o funcionamento do intestino
* 36 a 40 horas = prende o intestino

Comente com o Facebook

Deixe uma resposta